..
AS TRÊS FASES DO FILM NOIR
..
Um Retrato de Mulher, 1944
Um dos clássicos do mestre Fritz Lang.
..

Costumo ler que definir o que foi o Film Noir é uma tarefa das mais difíceis, e com certeza é! No entanto, para nós cinéfilos, não é tão complicado assim, já que não somos críticos profissionais e nem historiadores cinematográficos, nem nada. Basta fazer uma boa pesquisa sobre o que estes profissionais definiram até hoje sobre o assunto, e também, as suas dúvidas e contradições. E então, falarmos sobre este assunto magnífico, sem colocar a nossa colher enferrujada na história.

Portanto, foi isto que fizemos! Falamos de suas partes e de suas correlações, e ao final dar as definições dos elementos que o constitue.

Bem, primeiro falemos de sua procedência, que veremos, são de várias fontes distintas:
O estilo visual, dizem os historiadores, foi derivado dos filmes de terror da década de 1930. A estética, como os "noirs", historicamente, foram filmados em preto-e-branco e eram caracterizados pelo alto contraste, afirmam que suas raízes são encontrados na cinematografia característica do Expressionismo Alemão. Estes fatos são comprovados, já que vários profissionais, entre diretores, roteiristas, etc; tanto do cinema de terror, como expressionistas vindo da Alemanha, principalmente, passaram a fazer os chamados Film Noir na América.
Também o Realismo poético francês, com seus temas de fatalismo, injustiça e heróis arruinados, deram o tom de muitos clássicos Noir. Influências estas, vindas de grandes profissionais franceses que vieram trabalhar nos EUA, entre eles, Jean Renoir!
Como também a influência do Neo-realismo italiano, com ênfase na autenticidade. Muitos films noirs posteriores, como Night and the City (1950) e Panic in the Streets (1950), adotaram uma abordagem neo-realista, utilizando fotografia in loco e extras não-profissionais. Além disso, alguns films noirs se esforçaram em retratar pessoas comuns e oprimidas com vidas ordinárias de uma maneira similar aos filmes neo-realistas, como The Lost Weekend e In a Lonely Place.
Mas, principalmente, é lógico, a influência do próprio EUA, já que toda esta gama de riquezas cinematográficas, teria que ter as condições próprias para as suas existências. Pois os expressionistas, como Fritz Lang, e também os neo-realistas e os realistas poéticos franceses, teriam que ter um lugar que os recebessem e pudessem fazer as suas obras. Pois o nascimento do Film Noir foi em plena Segunda Grande Guerra Mundial, e muitos profissionais fugiram da Europa, sendo que a América recebia de braços abertos os artistas europeus que procuravam um lugar para trabalhar. No entanto, os EUA, contribuiu de outras e importantes formas também: a principal foi a influência literária que veio da escola de ficção policial e de detetives, que abrange escritores como Dashiell Hammett e Raymond Chandler, principalmente, que, à princípio, eram apenas populares em revistas baratas, mas, depois, que o material de suas obras foram magistralmente adaptadas por porfissionais que procuravam aqueles tipos de histórias, e então, eles se tornaram celebridades com o passar do tempo. Que o diga John Huston com “O Falcão Maltês” (também conhecida como “Relíquia Macabra”) e Howard Hawks com o clássico “À Beira do Abismo”; tanto um como outro, derivado destes autores “baratos”. Mas, além disso, havia também o fator econômico, pois, era bem mais barato, naqueles tempos de guerra, fazer filmes em preto e branco, com temas simples e locações baratas (muito embora alguns filmes utilizassem locações famosas e luxuosas – sempre há excessões!) que não exigiam grandes despesas, atores e diretores quase desconhecidos; do que filmes em cores, contratar grandes roteiristas para adaptar literaturas clássicas, locações e estúdios caríssimos e atores e diretores de ponta que cobravam valores exorbitantes para a época. Também não se pode deixar de falar das músicas americanas, principalmente o jazz e o blues, que davam o tempero necessário a muitas historinhas chulas, e as interpretações de muitos atores americanos que eternizaram personagens e transformaram o simples no complexo, o chulo no clássico!

Sobre o termo film noir (do francês, filme preto) podemos dizer que foi atribuído pela primeira vez a um filme pelo crítico francês Nino Frank em 1946. O termo era desconhecido dos diretores e atores enquanto eles “criavam” os films noirs clássicos. A expressão foi definida posteriormente por historiadores do cinema e críticos. Muitos dos criadores de film noir revelaram mais tarde que não sabiam, naquela época, que haviam criado um tipo distinto de filme.
Do termo podemos falar do próprio nascimento e a época de existência do Film Noir, que também é motivo de muitas controvérsias entre os críticos. Uns dizem que somente a década de 40 e a de 50 é que comportam os Film Noir. Outros dizem, que tanto antes como depois, podemos encontrar filmes com características noir. Penso que tanto uns como os outros tenham razão, já que nestes últimos tempos a crítica especializada internacional têm entrado num “acordo” de que entre 1941, ano da realização de “ O Falcão Maltês”, filme que inauguraria o ciclo, a 1958, ano da realização de “A Marca da Maldade”, filme que encerraria o ciclo, foi a época do “Film Noir Clássico”. E a contragosto de muitos, há um consenso de que em meados dos anos 30 (talvez um pouco antes) até 1940, existe o que muitos críticos definem como o “Pré-Noir”. Isto porque, nada surge do nada, e muito menos de uma hora para outra. É inteligente pensar que o ciclo noir foi se formando aos poucos, com as influências vindas de fora em junção com as influências do próprio país, defendem muitos críticos. Além, lógico, dos chamados “Neo-Noir”, principalmente os coloridos, que até hoje bebem da fonte da época clássica do noir.

Podemos falar agora da denominação própria do Film Noir. Pois há muita controvérsia sobre a denominação do que venha a ser o Film Noir em termos cinematográficos, isto é, como se classifica, que tipo de filme é. Isto porque, nos EUA, diferentemente da Europa, que, historicamente nunca ligou para classificar gêneros de filmes, os americanos (que dizem, criaram o termo “gênero cinematográfico”), há uma tendência natural de fazê-lo. E sendo o Film Noir, um resultado de uma combinação de estilos e gêneros diversos, com origem na pintura, assim como no cinema, há também uma dificuldade natural de se chegar a um acordo. Pois o seu estilo visual nitidamente expressionista, que por sua vez, foi derivado da pintura e da literatura e também as influências neo-realistas e realismo poético francês e outros; foram associados aos gêneros cinematográficos conhecidos, principalmente o policial, o suspense, o terror e o drama; resultando daí os mais variados filmes, com difíceis definições. Então, é por causa desta rica mescla de origens distintas, que muitos críticos não entram num acordo, sendo que alguns dizem ser um estilo visual, outros que o Film Noir é um "modo" ou "ciclo". Na verdade, ele é tudo isso e cada uma dessas partes ao mesmo tempo! Nós optamos por classificá-lo, como alguns críticos o fazem, a exemplo do próprio Expressionismo Alemão e o Neo-Realismo Italiano, um “Movimento Cinematográfico”. Não organizado, mas um movimento, já que viria a influenciar muitos diretores e muitas obras posteriores. Haja visto, que ainda hoje, muitos diretores revisitam o tema, de tempos em tempos.

Pra finalizar, falemos dos elementos dos Film Noir. Que são, obviamente, difíceis de definir, já que certos filmes são considerados noir por alguns críticos, mas por outros, não.
Por isso, a cartilha dos críticos americanos definiram alguns elementos essenciais que devam ter nos Film Noir, se não houver 70% destes elementos o filme não é genuinamente um noir. No entanto, em se tratando de Film Noir, sempre haverá controvérsias.
Os elementos são:
Personagens como Femme Fatale, protagonistas alienados, bode expiatório, maridos ciumentos e personagens violentos ou corruptos.
Ambientes urbanos, locações exóticas e casas noturnas e/ou clubes de jogos.
Elementos cinematográficos como fotografias em preto e branco (A única excessão na Fase Clássica é o filme noir colorido "Amar Foi Minha Ruína, 1953. Aceito por quase todos os críticos!); ângulos baixos de filmagens, ângulos incomuns e técnicas expressionista de fotografia; sequência e efeitos visuais incomuns, que incluem pessoas filmadas em espelhos, ou contra múltiplos espelhos, filmagens através de vidros e múltiplas exposições; cenários noturnos e interiores sombrios; e o uso de narração (em muitos filmes).
Elementos temáticos com senso de fatalismo, obsessão sexual, corrupção social, degradação humana, emboscadas, etc. Sendo que os filmes sempre nos apresentam personagens desesperados num universo cruel e que se entrelaçam com seus interesses carregados de angústias, ciúmes e fraqueza moral.
Elementos de roteiro, com trama intrincada, embora simples; uso quase na maioria dos filmes de flashbacks; sobreposição de narrativas; o protagonista é participante ativo em quase todas as cenas; assassinato e roubo como centro das histórias; falsas acusações; traições; final, muitas vezes, abertos ou ambíguo, etc.

Bem, estes, acima, são os elementos que a maioria dos críticos definem o noir e que são relacionados em todo site ou livro que trata do assunto, seja em qual idioma for.

A nossa página sobre o assunto, além de focar a Fase Clássica do Noir (1941-1958), também relacionaremos os filmes da Fase Pré-Noir (filmes da década de 30) e os filmes da Fase Neo-Noir (apartir de 1959).

Pra finalizar, damos um vídeo com a Fase Clássica do Film Noir:

..

A Fase Clássica do Cinema Negro
video

..

Nosso vídeo contém alguns do melhores filmes desta fase clássica deste importante movimento do cinema mundial. Filmes estes, assinados por alguns dos Grandes Mestres do Cinema Mundial, como Fritz Lang e John Huston, por exemplo.

...